Publicidade

Posts com a Tag Green Bay Packers

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011 NFL - Futebol Americano | 18:02

GREEN BAY PACKERS: A NOVA DINASTIA DA NFL?

Compartilhe: Twitter

Esse ano foi magnífico, mas alguém já parou pra pensar do que o Green Bay Packers é capaz de fazer nas próximas temporadas?  Estamos vendo o nascimento de uma dinastia?  Eu acho que é possível.

Os Packers venceram esse ano enfrentando “n” problemas.  Dizem que quando um time chega a um título é preciso ter um pouco de sorte.  Isso quer dizer que, principalmente, é preciso ficar longe das contusões.  Os Packers de 2010 foram, possivelmente, o time mais azarado da temporada.  Primeiro que a equipe começou o ano com dois de seu principais defensores, Atari Bigby e Al Harris, machucados.  Depois, vieram as contusões de Ryan Grant, Jermichael Finley, Nick Barnett, Morgan Burnett, Brandon Chillar, Spencer Havner, etc, etc.  A lista é gigante.   Os Packers mandaram 16 jogadores pra lista dos contundidos!  Além disso, Aaron Rodgers sofreu duas concussões, o running back James Starks perdeu a maioria da temporada.  Enfim, muitos obstáculos foram superados pro time chegar ao título.  Não é por acaso que quando os veteranos  Donald Driver e Charles Woodson se machucaram no início do Super Bowl o time continuou firme e forte.  Pessoal, essa caminhada do Green Bay Packers foi incrível!

Agora, pára pra pensar o que será do Green Bay Packers na próxima temporada quando os jogadores citados (menos Al Harris que foi dispensado) voltarem saudáveis?  Vários jogadores como Andrew Quarless, Sam Shields, Eric Walden e, principalmente, Tramon Williams brilharam quando receberam uma chance por causa das lesões.   Com a volta dos contundidos, os Packers terão um time das estrelas.  Imagina a secundária com Nick Collins, Morgan Burnett, Charles Woodson e Tramon Williams com Sam Shields entrando em situações de “nickel.”  Ou que tal uma formação de dois tight ends com Jermichael Finley e Andrew Quarless?  Com a ascensão de James Starks, Ryan Grant vai ter ajuda e não terá que se desgastar tanto, melhorando o jogo terrestre.  Eu sei que os Steelers tem o grupo mais forte de linebackers da NFL, mas não seria assustador ver uma temporada completa com o trio de Clay Matthews, Nick Barnett e Brandon Chillar?

Na posição de quarterback, não existe mais pressão no Aaron Rodgers.  Ele já mostrou que merece ser mencionado entre os melhores da liga e já tem um anel no currículo.  Jordy Nelson e James Jones mostraram muito esse ano, e Greg Jennings foi o segundo melhor da NFL em jardas recebidas.  Imagine o que Rodgers será capaz de fazer no ano que vem com Nelson e James mais maduros, Jennings se tornando um dos melhores wide receivers da liga, e Finley e Grant voltando de contusão.  Alguém vai poder parar esse time???

O San Francisco 49ers dominou a década de 80 vencendo 4 Super Bowls.  Os Cowboys vencerem 3 vezes nos anos 90.  Os Patriots foram o melhor time de 2000-09, conquistando 3 títulos.  E agora?  será que os Packers podem ser o time dessa década?? Eu acho que sim.

O que acham??

Autor: Tags: ,

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011 NFL - Futebol Americano | 02:54

BASTIDORES DE UM SUPER BOWL DE TIRAR O FÔLEGO

Compartilhe: Twitter

Que dia especial para o torcedor do Green Bay Packers!  Depois de vencer os Steelers por 31 a 25, o Pack levantou o troféu Vince Lombardi pela quarta vez na sua história.  Os Packers estavam na fila há 14 anos (venceram os Patriots no Super Bowl 31 por 35 a 21).  Foi uma caminhada e tanto para um time que perdeu 16 jogadores por causa de contusão na temporada.  Ryan Grant, Jermichael Finley, Nick Barnett, Morgan Burnett, etc., todos perderam a grande maioria da temporada.  Imagine quantos jogos Green Bay teria vencido durante o ano caso não teria sofrido com tantas lesões.

O dia também foi especial para a nossa equipe.  Essa foi a minha terceira cobertura do Super Bowl e a primeira como repórter.  Esse ano, a ESPN não tinha os direitos de transmissão mas mesmo assim fui pra cobrir o evento.  Eu já esperava ver algumas coisas.  Chegamos ao Cowboys Stadium por volta do meio-dia (5 horas e meia antes da partida começar).  Já tinha muita movimentação ao redor do estádio.  Torcedores do Pittsburgh Steelers e Green Bay Packers se direcionavam (juntos) ao estádio.  Todos estavam empolgados, mas respeitando o espaço do outro (assim como vimos nos grandes clássicos aqui no Brasil como Palmeiras x Corinthians).  Policiais marcavam presença com muita tranquilidade mas estavam preparados caso algo fora do normal acontecesse.  Na entrada do estádio um cão varejador vez a inspeção do nosso equipamento pra ver se tínhamos drogas ou se pretendíamos soltar alguma bomba durante o jogo, um procedimento normal.

Ao entrarmos, fomos direto para a “media work room” uma área grande reservada para a mídia.  Eu vou te falar que é muito fácil se perder no Cowboys Stadium.  O lugar é um labirinto gigantesco (capacidade pra receber 105 mil torcedores) e tivemos que ser direcionados várias vezes por diversos funcionários do evento antes de chegarmos na sala de imprensa.  Eu precisava gravar um boletim para o programa “Bate-Bola” e estava pautado pra fazer uma matéria sobre a movimentação fora do estádio durante o jogo para o “Sportscenter”. (Você acredita que vi o primeiro tempo inteiro junto com torcedores de Packers e Steelers, na frente de dois telões no lado de fora do estádio? Alguém tem que trabalhar, né?  Pelo menos eu não tive que pagar 200 dólares, preço que os fanáticos pagaram pra se reunir debaixo de um chuvisco e temperatura gelada.)

Pessoal assistindo ao jogo na parte de fora do estádio.

Tem uma coisa que me chama bastante a atenção no Super Bowl.  O evento tem muita segurança e sabemos que os americanos muitas vezes, são considerados “cricri”.  Mesmo assim, num evento de segurança máxima é possível ter acesso ao campo e várias outras coisas do estádio.  Eles equilibram isso muito bem.  Tive a oportunidade de gravar meu boletim e outras coias (que estou reservando para futuros programas, então não posso falar) no meio do campo.  Enquanto eu gravava, jogadores dos Steelers e Packers faziam o reconhecimento do campo.  O ator Owen Wilson (Penetras Bons de Bico) corria várias rotas e recebia passes (do meu lado) do lendário Kurt Warner (quarterback que levou os Cardinals ao Super Bowl dois anos atrás e agora está aposentado).  Parei pra bater um papo com Joe Buck, narrador do jogo pela Fox.  Perguntei sobre a preparação dele e ele me disse que no dia do jogo ele tenta relaxar.  Joe ficou bastante antenado nos noticiários durante a semana pra se preparar.  Mas, você não vai encontrar 10 mil anotações na cabine da Fox durante o jogo (coisa que você encontra na cabine da ESPN na frente do Paulo Antunes durante as transmissões).  segundo ele, “se eu não lembrar de alguma coisa durante a partida é porque a informação provavelmente não é tão relevante.”

O jogo começou, e saí pra fazer minha matéria.  Fomos na área fechada (mas não coberta) onde ficavam dois telões reservados para os fanáticos.  Perto de 3 mil pessoas estavam reunidas.  Um cara pagou 1000 dólares (comprou de cambista), outro viajou 20 horas já sabendo que não entraria no estádio e vários tremiam de frio mas não tiravam os olhos do telão.  Isso que é fanatismo!  Pagar mil dólares pra ver um jogo num telão fora do estádio! Uau. (Pena que o cara era torcedor do Pittsburgh Steelers).

No intervalo do jogo, voltamos para o estádio.  Que alívio! Estava muito frio lá fora.  Logo em seguida meu telefone tocou, era o Everaldo Marques querendo que eu entrasse ao vivo num “tweetcam” da ESPN pra falar sobre o jogo.  Eu queria ter tido a oportunidade de sentar e assistir ao jogo podendo dissecar cada momento, mas não tive como.  Acompanhei o jogo, mas a matéria era de grande preocupação também.  Mesmo assim, entrei no ar e deixei meu comentário.  Logo depois, fui tentar ver o show do Black Eyed Peas (show do intervalo).  Não tínhamos assentos no estádio, então tivemos que encostar no lado de um corredor de acesso às arquibancadas pra ver o show.  Adorei!  A Fergie estava ótima (especialmente quando ela cantou “Sweet Child o’Mine” com o ex-guitarrista do “Guns ‘n Roses”, Slash.

Fergie e Slash no telão do Cowboys Stadium.

Nossa visão do show do Black Eyed Peas.

Depois do show, voltamos para a sala de imprensa que ficava ao lado do campo, na frente do vestiário dos Steelers.  Estávamos tão perto, mas ao mesmo tempo tão longe.  Não dava pra ver o campo  e nossos credenciais não davam acesso às arquibancadas ou campo durante o jogo. Mas, entretanto, porém e toda via, quem tem boca “VAIa Roma” e quem tem amigos, VAI mais longe ainda.  Hello, Curt Johnson!  Conheci Curt no Super Bowl do ano passado em Miami.  Depois do jogo, ele nos pediu uma carona para o hotel da ESPN.  Ele tinha se perdido do pessoal dele, e pediu uma força.  De lá pra cá, conversamos algumas vezes por email e nos reencontramos agora em Dallas.  Curt estava sentado perto da linha de 40 jardas, numa altura perfeita (não estávamos lá em baixo, mas também muito longe da última fileira).  Tinha dois assentos sobrando E Curt nos chamou.  Eu e Pedro Oliveira, meu colega de trabalho, seguimos o Curt.  Aproveitamos e assistimos ao jogo de lá.

Eu com o Curt Johnson da ESPN americana.

Depois da partida, todo mundo queria falar com Aaron Rodgers, o MVP do Super Bowl.  O pessoal da imprensa se aglomerou em volta do jogador e eu consegui uma vaguinha estratégica no lado direito dele.  Estiquei meu braço (que começou a tremer depois de alguns minutos) e aproximei o microfone ao máximo.  Eu tentei fazer uma pergunta duas vezes, mas era cortado por outro jornalista.  Finalmente, na terceira, eu consegui.  Não há nada mais prazeroso do que estar perto dos melhores atletas do mundo e ter a oportunidade de interagir com eles.  Não posso falar por outros jornalistas, mas pra mim, a parte mais prazerosa do meu trabalho é poder entrevistar um grande atleta.  Dá muita energia.

A sonora que o Aaron Rodgers me deu foi ótima e contribuiu muito para a finalização da minha matéria.  Ficamos no estádio trabalhando mais um pouco e depois voltamos para o hotel.  Mandamos a matéria para o Brasil e fomos dormir.  Mais uma cobertura do Super Bowl no nosso currículo.  Pena que não tivemos o direito de transmissão, problema que não teremos nos próximos 3 anos.

E você? Aonde viu o jogo? O que achou?

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011 NFL - Futebol Americano | 13:21

10 MOTIVOS PELOS QUAIS ESSE SUPER BOWL DEVE SER UM DOS MELHORES

Compartilhe: Twitter

A hora da verdade está chegando!! o Super Bowl XLV promete muita emoção e tem tudo pra ser um dos melhores de todos os tempos.  Aqui vão 10 motivos pelos quais você não deveria deixar de acompanhar esse Super Bowl.  Vamos lá!!

Charles Woodson, Packers.

1. Não é todo dia que dois dos times mais tradicionais se enfrentam no Super Bowl

É, meus amigos.  Essa é a segunda vez na história  que dois times com pelo menos três títulos de Super Bowl se enfrentam.  A única outra vez que isso aconteceu foi na temporada de 1995 quando os Steelers perderam para os Cowboys no Super Bowl XXX.  Os Packers são o time mais vencedor da história do futebol americano com 12 títulos da NFL (isso inclui 3 Super Bowls).  Os Steelers, o time mais vencedor da era do Super Bowl (desde 1966)  buscam o sétimo troféu de campeão.

2. Se o último confronto entre as equipes diz alguma coisa…Hello, touchdowns!

É outra temporada, os times são um pouco diferentes, mas meu Deus do céu!  A última vez que esses dois se engalfinharam, parecia que as defesas estavam sobe o efeito de “Maracujina”.  Os Steelers venceram pelo placar de 37 a 36, num jogo pra lá de emocionante.  Aaron Rodgers lançou para 383 jardas, enquanto o Ben Roethlisberger quebrou um recorde da franquia com 503 jardas aéreas.  A probabilidade de um jogo desse tipo se repetir é pequena.  Steelers e Packers foram os dois times que menos cederam pontos nessa temporada.  Mesmo assim, nunca se sabe.  O Super Bowl é sempre uma caixinha de surpresas.

3.  Os dois quarterbacks são gladiadores.

Quando eu penso em Aaron Rodgers e Ben Roethlisberger, eu me lembro do filme “O Gladiador”.  Lembra aquela cena final quando Russell Crowe é esfaqueado e mesmo assim acha forças suficientes pra derrubar o rei (se você ainda não viu e estava pretendendo assistir ao filme, eu acabo de estragar tudo)?  Então, essa é a mentalidade desses dois jogadores.  Aaron já sofreu duas concussões na temporada, e jogar com o nariz é pé direito fraturado tem sido normal para Big Ben.  Os “gladiadores” terão de trazer suas espadas para esse confronto, pois vão enfrentar defesas rápidas, agressivas e com sangue nos olhos.

4. E por falar em defesas…

As retaguardas de Steelers e Packers foram as duas mais parcimoniosas da liga.  Os Steelers cederam 14,5 pontos por jogo enquanto Green Bay permitiu apenas 15.  As equipes também foram as duas melhores pressionando o quarteback.  Os Steelers lideraram a NFL com 48 sacks enquanto os Packers  conseguiram 47.  Com a pressão vem turnovers.  Então, não é por acaso que os Steelers foram o segundo time que mais forçaram fumbles (28) enquanto os Packers anotaram o segundo maior número de interceptações (24).  Os gladiadores que se cuidem!!

5. Você gosta de queijo e mostarda?

Além de ser emocionante, o dia do Super Bowl também proporciona uma oportunidade pra você ficar dois quilos mais gordo.  Nesse lindo dia, é consumida mais comida do que qualquer outro dia no calendário Americano, com a exceção do Thanksgiving (Dia de Ação de Graças).  Por isso, nada melhor do que ter os “cabeças de queijo” (apelido do torcedor dos Packers) e o time do “grande pote de mostarda” (apelido do Heinz Field, arena dos Steelers) dentro do mesmo estádio.  Eu nunca comi queijo com mostarda, não sei se combina.  Mas, estou ansiosíssimo pra experimentar pois é isso que estará no cardápio no dia 6 de fevereiro.  Que gostoso!

6. Os torcedores de Packers e Steelers comem, dormem e respiram futebol americano.

Olha, se você estiver dentro do Cowboys Stadium neste Domingo, vai correr o risco de perder um pouco de sua audição.  É sério.  O estádio está preparado para receber 105 mil das pessoas mais doentes pela bola oval.  Muito barulho!!!  Tenta falar para um torcedor dos Steelers ou Packers que tem coisa mais importante do que futebol americano.  É capaz de 1. você fazer a pessoa chorar, 2. levar um murro na cara (dependendo do estado do sujeito), ou 3. incitar um período de cinco muitos de puro risos (também dependendo do estado do sujeito).  O fato é que não tem torcedores mais fanáticos do que os de Steelers e Pack.

7.  O nome do troféu é o “Vince Lombardi Trophy”

Quem conhece bem o futebol americano sabe que Vince Lombardi foi uma figura que marcou o esporte.  Lombardi é uma lenda em Green Bay (tem até uma estátua dele na frente do Lambeau Field, casa dos Packers).  Ele foi treinador do clube de 1959 a 67 levando o time a 3 títulos da NFL e dois Super Bowls.  Sofrendo com uma batalha com o câncer, Lombardi faleceu em 1970 e logo depois o troféu do Super Bowl recebeu seu nome, “Vince Lombardi Trophy.”  A homenagem ainda vive e não teria nada melhor, para o torcedor dos Packers, do que trazer o troféu de volta para Green Bay.

8. Os dois times são muitooo parecidos

Se você acompanha a NFL há algum tempo, você sabe que nem sempre o Super Bowl é o jogo mais competitivo da temporada.  Já tivemos várias goleadas e domínio de uma conferência.  Por exemplo, das temporadas de 1981 até 1996 o vencedor da NFC venceu TODOS os Super Bowls.  Tivemos placares de 52 a 17, 42 a 10, 49 a 26,  55 a 10,  46 a 10, etc.  Esse ano promete ser diferente pois as equipes são extremamente parecidas.

Os Steelers tem o Ben, o Pack tem Aaron Rodgers.  Pitt tem a velocidade de Mike Wallace, os Packers contam com Greg Jennings.  Os Steelers têm James Harrison, GB tem a fúria de Clay Matthews.  Na secundária, Troy Polamalu comanda em Pittsburgh, enquanto Charles Woodson marca presença em Green Bay.  As duas linhas ofensivas sofrem um pouco na proteção exigindo bastante de seus quarterbacks.  Enfim, são muitas semelhanças.  É quase impossível apontar um favorito.

9. Os Packers buscam algo que só os Steelers conseguiram até hoje.

Vencer o Super Bowl depois de entrar nos playoffs como cabeça de chave número 6.  Isso aconteceu apenas uma vez na rica história do nosso querido Super Bowl quando os Steelers venceram os Seahawks em 2006.  A defesa dos Steelers brilhou (que novidade) naquela pós-temporada e até conseguiu uma vitória impressionante em cima do poderoso Indianapolis Colts.  Os Packers precisaram vencer o Chicago Bears no último jogo da temporada pra garantir a classificação aos Playoffs.  Depois de vitórias nas casas de Eagles, Falcons e Bears os Packers tentam se tornar o primeiro cabeça de chave número 6 da história da NFC a ganhar o Super Bowl.

10. Teremos uma cobertura bacana aqui no blog!

Estou partindo para Dallas amanhã.  Estarei lá fazendo matérias para os canais da ESPN e, se Deus quiser, estarei aqui blogando direto.  Vou tirar muitas fotos e conto com a sua participação aqui no nosso blog.  Terei muitos compromissos com a ESPN em Dallas, porém sempre que possível estarei por aqui.  Conto com vocês!

E pra você? Qual é a coisa mais empolgante desse Super Bowl?

Autor: Tags: , , ,

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011 NFL - Futebol Americano | 12:33

STEELERS E PACKERS JÁ ESTÃO DE MALAS ARRUMADAS A CAMINHO DE DALLAS!

Compartilhe: Twitter
O pessoal em Dallas já se prepara para receber Packers e Steelers

Steelers e Packers, Packers e Steelers, o Super Bowl 45 vai ser fantástico!! Depois de conseguirem vitórias sofridas no último fim de semana, os dois clubes se preparam para batalhar no dia 6 de fevereiro em Dallas.  Os Steelers chegam ao aeroporto de Dallas/Fort Worth às 11h30 (horário local) do dia 31 de janeiro.  Os Packers devem pousar por volta das 15h30 do mesmo dia.  Tradição é o que não faltará nessa partida.  Os Steelers são os maiores vencedores com 6 títulos e participam do jogo pela terceira vez em 6 temporadas e pela oitava vez na história da franquia.  A última vez que Green Bay participou foi em Janeiro de 1998.  Os Packers perderam para os Broncos num jogo pra lá de excepcional (meu Super Bowl favorito, pra falar a verdade).  Green Bay tem 3 títulos e vai para sua quinta aparição.

OS DOIS TIMES LEVARAM SUSTOS NA FINAL DE CONFERÊNCIA


A final de conferência foi complicada para os dois times.  Packers e Steelers dominaram os Bears e Jets, respectivamente, no primeiro tempo antes de levarem sustos na segunda etapa.  Pittsburgh quase sofreu a maior virada da história de uma final de conferência.  Os Steelers abriram 24 a 0 e depois quase vacilaram, escapando com uma vitória por 24 a 19.  Os Packers anotaram dois TDs rápidos no primeiro tempo mas tiverem que suar até os segundos finais pra garantir um placar de 21 a 14.

Os quarterbacks Aaron Rodgers e Ben Roethlisberger não tiveram performances excepcionais.  O que eles mostraram foi muita RAÇA.  Ambos terminaram com duas interceptações, nenhum TD aéreo e um TD terrestre.  ARod começou muito bem, mas depois sucumbiu à pressão da excelente defesa dos Bears.  A mesma coisa aconteceu com o Big Ben que teve um primeiro tempo forte mas não vez muita coisa no segundo.  Mesmo sem números espetaculares, o que notamos é que quando seu time precisa de uma corrida chave ou um passe curto pra garantir um first down, parece que esses caras sempre dão conta do recado.  Em Chicago, a defesa dos Packers garantiu a vitória com um interceptação retornada pra TD e outro turnover no finalzinho pra impedir uma caminhada dos Bears.  Aaron Rodgers não foi o grande protagonista como havia sido nos dois primeiros jogos da pós-temporada mas mesmo assim, fez jogadas importantes. Em Pittsburgh, Big Ben colocou o ponto final numa vitória emocionante dos Steelers.  Ele acertou um passe curto para Antonio Brown numa terceira-descida para 6 jardas, garantindo um first down e a vitória.  Ben e os Steelers anotaram apenas 50 jardas no segundo tempo mas quando ele teve que aparecer, ele apareceu.  É por isso que Benny boy tem 10 vitórias e apenas duas derrotas em sua carreira nos playoffs.

O QUE FALTOU PARA JETS E BEARS CHEGAREM AO “GRANDE JOGO”.

Times que começam atrás do placar em jogos decisivos, geralmente não se dão bem.  Fica quase impossível vencer um time do calibre dos Steelers fora de casa depois de ceder 24 pontos no primeiro tempo.  New York jogou muito mal defensivamente na etapa inicial.  Rashard Mendenhall vez a festa quebrando muitos tackles e conseguindo jardas depois do primeiro contato.  Ofensivamente, Mark Sanchez foi pressionado e sofreu um fumble que foi retornado pra touchdown.  Se NYJ tivesse ido melhor nos tackles e na proteção do QB (duas coisas bem básicas do jogo), teria tido grandes chances de vitória.  Não vou ficar aqui falando que os Jets precisam de mais um wide receiver, safety, quarterback ou qualquer outra coisa.  NYJ é um time completo (isso inclui Mark Sanchez, que se portou muito bem).  Só acho que faltou concentração na primeira etapa.  Talvez o nervosismo envolvido com a grandeza do jogo tenha sido um fator determinante.

Os Bears precisam de ajuda ofensivamente.  O time teve o terceiro pior ataque da NFL nessa temporada.  Alguém sabe a última vez que os Bears tiveram um grande wide receiver??  É sério.  Eu não lembro.  Acho que temos que voltar para 1985 (Willie Gault) para acharmos um grande jogador nessa posição para o Chicago.  Jonnie Knox e Devin Hester são decentes, nada mais que isso.  Jay Cutler também deixa muitas dúvidas na posição de quarterback.  Ele saiu do jogo machucado e foi bastante criticado.  No maior jogo de sua vida, Cutler completou apenas 6 de 14 passes.  Chicago não consegue vencer apenas com sua defesa e há uma discrepância gigante entre o talento no ataque e na defesa.

Uma coisa que está claro pra mim é que Matt Forte é UM JOGADOR.  Não tenho dúvidas que ele terá uma grande carreira na NFL.  Recebendo bolas e correndo, o terceiro anista faz de tudo.  Ele anotou 160 das 301 jardas dos Bears contra GB.  Se Chicago melhorar no ataque aéreo vertical, ele vai ter mais espaços pra correr e receber passes curtos.  Aí eu vou querer ver.  Acho que ele tem potencial pra terminar sua carreira com números parecidos aos do Brian Westbrook.

O QUE ESPERAR DO JOGO

Em breve, farei uma prévia completa desse grande confronto.  O que posso dizer, é que acho que esse será um dos 3 super bowls mais assistidos da história.  As duas defesas são rápidas, agressivas e roubam a bola dos adversários.  É fascinante de ver.  Ofensivamente, os quarterbacks são verdadeiros gladiadores.  Aaron Rodgers já sofreu duas concussões nessa temporada e mesmo assim enfia a cabeça (geralmente onde não deve) pra ajudar seu time vencer.  Big Ben joga com o pé e nariz quebrados e nós nem percebemos.  O cara jogou com um nariz tão ferrado que o médico falou que a nariga dele tava parecendo “sucrilhos” antes da operação.  No jogo em que quebrou o nariz (a contusão aconteceu no início da partida), Big Ben levou sua equipe a uma vitória em cima do arqui rival Baltimore Ravens.  Na posição de wide receiver, os dois times têm bastante velocidade com Mike Wallace (Steelers) e Greg Jennings (Packers).  Vai ser um show!

Além de tudo isso, os times têm torcedores fanáticossssss! Teremos uma bela mistura de “cabeças de queijo” e “toalhas terríveis” no novo estádio do Dallas Cowboys no dia 6 de fevereiro.

E aí? O que acham? Steelers ou Packers? Na sua opinião, o que faltou para Jets e Bears?

Autor: Tags: , ,

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011 NFL - Futebol Americano | 20:07

O QUE APRENDEMOS DA SEGUNDA RODADA DOS PLAYOFFS DA NFL

Compartilhe: Twitter

Mais uma rodada dos playoffs, e mais jogos emocionantes.  Aqui estão algumas das coisas que eu tirei de cada jogo.

NFC

Bears 35 – Seahawks 24.

Matt Forte está jogando muito.

Chicago Bears –

Estabelecer o jogo terrestre tem sido o plano de ataque dos Bears.  No início da temporada, o coordenador ofensivo Mike Martz,  buscava o passe antes da corrida.  Isso colocou Jay Cutler em situações complicadas e mostrou a fraqueza da linha ofensiva, que não é boa protegendo o quarterback.  Contra os Seahawks, os Bears correram 45 vezes (176 jardas) e passaram apenas 28.   Esse novo conceito vem sendo explorado há algum tempo e é imprescindível para o sucesso dos Bears daqui pra frente.  A linha ofensiva dos Bears cedeu 3 sacks contra Seattle.  Se Jay Cutler tiver que lançar 40 bolas contra os Packers, ele será engolido.

Seattle Seahawks

Os Seahawks precisam de mais um grande wide receiver.  Mike Williams teve uma grande temporada, mas esse ataque precisa de mais velocidade.  Brandon Stokely é um ótimo wide receiver número 3.  Mike Williams é um 2.  Eu gostaria de ver os Seahawks irem atrás de uma fera, com muita velocidade que possa ser um verdadeiro número 1.

Packers 48 – Falcons 21.

Jordy Nelson anota um TD contra os Falcons.

Packers

Esse time está em perfeita sintonia, defensivamente e ofensivamente.  Aaron Rodgers é a verdade, meus amigos.  Não tem nada de falso nesseesse rapaz.  Ele é o cara!  Arod acertou 31 de 36 passes contra um time que perdeu apenas 3 jogos durante a temporada inteira.  Defensivamente, Os Packers estão dominando.  A secundária e o grupo de linebackers estão confundindo quarterbacks com blitz exóticos e roupando bolas com muita frequência.  Matt Ryan (QB dos Falcons) teve uma grande temporada regular, mas cometeu vários erros (duas interceptações, uma retornada pra touchdown, e um fumble) contra Green Bay.

Uma coisa que preocupa, é o trabalho dos especialistas.  Os Falcons retornaram um kickoff pra touchdown, e agora Devin Hester dos Bears (o melhor retornador da história desse planeta) está no aguardo.  Hester já retornou um punt pra TD contra Green Bay nessa temporada. Cuidado!

Falcons

Os Falcons precisam de um running back com bastante velocidade com a habilidade de anotar touchdowns longo.  Atlanta tem o Michael Turner, mas esse não é o estilo dele.  Um RB pra entrar em situações de terceiras- descidas que possa receber um passe curto e levar a bola pra End Zone, seria muito bem vindo.  Além disso, os Falcons (desesperadamente) precisam de um wide receiver pra complementar o Roddy White (líder da NFL em recepções esse ano).  Michael Jenkins não é a resposta!  Eu sei que ele perdeu alguns jogos nessa temporada por causa de contusão, mas mesmo assim.  Se eu fosse Atlanta, eu iria atrás de um wide receiver nas duas primeiras rodadas do próximo draft.

AFC

New York Jets 28,  New England Patriots 21

Drew Coleman com o sack em cima do Tom Brady.

New York Jets

Rex Ryan é o cara!  Ele falou, falou e depois falou mais um pouco a semana inteira que antecipou o jogo contra New England.  Os Jets tinham perdido por 42 pontos em New England durante a temporada regular.  Poucos esperavam uma vitória do NYJ, e eles foram lá e chocaram todo mundo.

O que mais me impressionou foi o modo no qual os Jets conseguiram dominar o ataque dos Patriots.  New York vinha de uma vitória emocionante contra o Indianapolis Colts, na qual Peyton Manning conseguiu apenas um TD.  Os Patriots somaram uma media de 37 pontos por partida na segunda metade da temporada, e muitos acreditavam que o ataque de Tom Brady era imparável.    NYJ foi lá e confundiu Tom Brady a tarde inteira!  Os Jets conseguiram 5 sacks, fizerem um ótimo trabalho disfarçando formações defensivas, e mesmo quando Tom Brady teve tempo pra lançar, a secundária dos Jets estava preparada.  Sabíamos que Rex Ryan era um grande treinador defensivo.  Agora, ninguém esperava performances sensacionais da defesa  em semanas consecutivas contra Manning e Brady. Uau!

New England Patriots

É quase inexplicável mas a derrota contra os Jets foi a terceira seguida dos Patriots em playoffs.  New England geralmente domina em Janeiro, mas parece que as coisas estão mudando. A impressão que passa é que o time, que geralmente é extramente disciplinado, esta começando a sentir a pressão da pós-temporada.  New England cometeu vários erros bestas contra os Jets.  A equipe não conseguiu converter um fake punt chamado por Bill Belichick, houve faltas, Alge Crumpler deixou um TD claríssimo cair no chão, Tom Brady foi interceptado (foram 4 no ano inteiro) e sofreu um fumble.  Enfim, New England não parecia preparado pro jogo.  Estranho, né?

Pittsburgh Steelers 31, Baltimore Ravens 24

Big Ben comemora o TD.

Steelers

Big Ben é o cara nos playoffs!  Esse jogador não foge de nada.  É por isso que ele venceu os últimos 6 confrontos contra os Ravens.  Ele simplesmente não se intimida.  Por toda sua garra, coragem, qualidade de liderança e talento, seria difícil escolher outro quarterback que eu gostaria de ter no meu time nos playoffs.  Baltimore sacou o Ben Roethlisberger 6 vezes na partida. Terrell Suggs conseguiu 3.  Mesmo assim, Ben se levantava e continuava martelando.  Isso é admirável.  Joe Flacco e o ataque dos Ravens sumiram no segundo tempo sobe a pressão da defesa do Pittsburgh.  Ben cresce quando a adversidade aumenta, e é esse o tipo de QB que é preciso pra levar um time ao título.

Ravens

Baltimore ainda está atrás do Pittsburgh Steelers.  A rivalidade, hoje, é a mais quente da NFL mas ficou claro que os Ravens ainda são o “caçula” nessa batalha.  Eu jamais tinha visto os Ravens se intimidarem numa partida de playoffs.  No sábado, eu senti isso.  Os erros no segundo tempo (o time vencia por 21 a 7 no intervalo) viraram uma bola de neve, ou melhor, uma avalanche. Ray Rice sofreu seu primeiro fumble do ano, Joe Flacco teve uma interceptação infantil, Anquan Boldin deixou um touchdown claro escapar.  O negócio foi feio.  Baltimore somou apenas 126 jardas.   Joe Flacco jamais venceu um confronto contra o Ben Roethlisberger (6 derrotas).  Os times  são muito parecidos, mas parece óbvio que, psicologicamente, os Steelers têm a vantagem.

O que acham?  O que mais mexeu com você nessa rodada?

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

terça-feira, 11 de janeiro de 2011 NFL - Futebol Americano | 19:12

O QUE MAIS CHAMOU A ATENÇÃO NA PRIMEIRA RODADA DOS PLAYOFFS DA NFL

Compartilhe: Twitter

Uau! Mais um ano de playoffs da NFL e mais um ano de jogos emocionantes.  Isso nunca fica chato.  É impressionante.  A primeira rodada começou com o “pé direito.” Grandes surpresas, jogadas inusitadas e 3 partidas que foram decidas no finalzinho do quarto período.  Vamos dar uma olhada no que mais impressionou nos quatro jogos da rodada.

Seattle Seahawks 41, New Orleans Saints 36


Tudo!  Exatamente, tudo.  O jogo foi 60 minutos de pura surpresa.  Nenhum analista que acompanhou a temporada da NFL, apostou nos Seahawks.  Não tinha como. New Orleans era muito superior.  Mas, porém, contudo, entretanto e todavia OS SEAHAWKS VENCERAM.  Incrível.  Os Saints tinham cedido 13 touchdowns aéreos durante a temporada inteira. Matt Hasselback lançou para 4.  Os Seahawks não tiveram um corredor passar da marca das 100 jardas em 2010.  Marshawn Lynch correu para 131 e anotou a corrida, para touchdown, mais longa da história dos Seahawks nos playoffs (67 jardas).  Não há dúvida que New Orleans sentiu a ausência do safety Malcom Jenkins.  Jenkins foi o melhor jogador da secundária dos Saints esse ano, e Matt Hasselback aproveitou sua ausência e queimou New Orleans com vários passes profundos.  Os Seahawks se tornaram o primeiro time a vencer um jogo de playoffs depois de ter uma campanha negativa (7 e 9) durante a temporada regular. 

Green Bay Packers 21, Philadelphia Eagles  16.


A verdade é que eu não fiquei surpreso com nada que aconteceu nesse jogo.  Eu, sinceramente, acreditava numa vitória dos Packers e numa boa performance defensiva de GB.  Eu vejo nesse time de Green Bay, traços do Pittsburgh Steelers de 2005.  Naquele ano, os Steelers se tornaram o primeiro cabeça de chave número 6 a vencer um Super Bowl.  Pittsburgh usou uma defesa sufocante e um ataque eficiente pra ganhar o título.  Acredito que Green Bay tenha a mesma chance em 2010.

A defesa está em fase excepcional.  Michael Vick correu para apenas 33 jardas.  Quando Vick corre, Philadelphia vai bem.  Caso contrário, o ataque sofre.  Os Packers estão confundindo os adversários com várias formações de blitz e a secundária está marcando muitooooo.  O Atlanta Falcons que se cuide.

[atualizando: James Starks foi a surpresa do jogo para o ataque dos Packers.  O calouro (selecionando na sexta rodada) correu para mais de 120 jardas e foi um fator crucial para o sucesso do ataque]

Baltimore Ravens 30, Kansas City Chiefs 7


O profissionalismo, a raça e o jeito que o Baltimore Ravens joga fora de casa nos playoffs, me impressionam.  Baltimore simplesmente demoliu o Kansas City Chiefs.  Eu comparo os Ravens com uma jiboia-constritora.  A constritora, é uma cobra que se enrola na presa e aos poucos vai apertando sua vitima até ela perder o ar e morrer asfixiada.  Os Ravens fazem a mesma coisa.

O time, não tem um quarterback que lance para 400 jardas ou um Wide Receiver que receba 8 passes para 200 jardas.  O ataque não é dos mais dinâmicos, nem o mais bonito de assistir.  Mesmo assim, ele dá resultados.  A defesa, vai chupando a vida dos adversários com seu poder de intimidação e habilidade de conseguir turnovers.  Os Chiefs sofreram 5 turnovers depois de cometerem apenas 14 durante a temporada regular.  Isso poderia ser surpreendente, mas não é.  Os Ravens crescem nos playoffs, e não se intimidam com ninguém.

New York Jets 17, Indianapolis Colts 16.


Eu sei que o Darrelle Revis é bom.  Na verdade, ele é o melhor cornerback da NFL.  Mas…uma recepção para uma jarda de um jogador que agarrou 111 bolas na temporada é difícil de engolir.  Hello, Reggie Wayne.  Aonde que o senhor estava no último sábado??  Com o seu principal alvo sumido do jogo e Dallas Clark e Austin Collie machucados, Peyton Manning teve poucas opções no jogo aéreo.  Pierre Garçon jogou bem, servindo o único TD dos Colts.  Fora ele, Peyton teve que contar com os serviços de Jacob Tamme e Blair White.  Aí fica difícil.  Os Jets têm uma defesa excepcional e Peyton e cia. simplesmente não tiverem o poder ofensivo pra vencer a partida.  E por falar em poder ofensivo, NYJ também não assusta ninguém.  Os Jets conseguiram a campanha da vitória nos últimos segundos e Mark Sanchez fez um passe crucial para posicionar o kicker Nick Folk para o field goal decisivo.  Mesmo assim, Sanchez errou muitos passes, tomou decisões equivocadas e simplesmente não jogou muito bem.  Se NYJ quiser sonhar com uma vitória na próxima rodada contra os Patriots em Foxboro, Mark Sanchez terá de melhorar e muito.

O que acham???  Quem foi o jogador da rodada?  Qual foi seu jogo favorito?  Quero ouvir sua análise.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011 NFL - Futebol Americano | 20:40

PRÉVIA DA PRIMEIRA RODADA DOS PLAYOFFS DA NFL

Compartilhe: Twitter

Os playoffs estão chegando.  Não há nada mais empolgante do que a pós-temporada da NFL, e nesse fim de semana teremos 4 jogos na primeira rodada do torneio.  Está na hora de analisar cada partida.

Seahawks 7-9  x Saints 11-5 , Qwest Field em Seattle.


Pela primeira vez na história da NFL, um time com mais derrotas do que vitórias vence sua divisão (os Browns em 1985 e Chargers em 2008 venceram suas respectivas divisões com 8 vitórias e 8 derrotas).  Seattle perdeu 7 dos últimos 10 jogos, mas mesmo assim conseguiu a classificação depois de vencer o St.Louis Rams no último domingo.  Charlie Whitehurst foi o QB titular substituindo Matt Hasselback, que estava machucado.  A boa notícia é que Hasselback estará de volta para o jogo de sábado.  Eu sei que ele lançou 12 TDs e 17 interceptações nesse temporada.  Mesmo assim, ele tem mais experiência que Charlie boy e dá ao Seattle a melhor chance de vitória.

Os Saints vão pra partida com alguns problemas.  Os dois melhores runningbacks do time, Chris Ivory e Pierre Thomas, não jogam mais esse ano.  Isso vai colocar mais pressão nos ombros do QB Drew Brees.  Os Saints venceram o Super Bowl no ano passado com um ataque equilibrado.  Sem esses dois jogadores, tudo indica que New Orleans vai ter que depender bem mais do passe e isso pode comprometer o ataque.  Eu acreditava que New Orleans poderia repetir o feito do ano passado com um Pierre Thomas saudável.  Sem ele, eu fico bem mais pessimista.

Os Saints não devem ter problemas com o Seattle Seahawks.  A defesa de Seattle é uma das 6 piores da NFL, e o ataque não é muito melhor.  New Orleans possui uma secundária fortíssima com Jabari Greer, Tracey Porter, Roman Harper e Malcom Jenkins e eu não vejo o ataque aéreo do Seattle fazendo alguma coisa. Pra ter alguma chance, acredito que Seattle terá de estabelecer o jogo terrestre e controlar o relógio.  O problema é que o ataque por terra dos Seahawks é o pior da NFL.  A defesa dos Saints é a quarta melhor da liga.  Não vejo nada que eu possa falar que favoreça os Seahawks.

Ofensivamente,  os Saints devem dominar.  Drew Brees e seus wide receivers têm tudo pra fazerem a festa contra a sexta pior secundária da NFL.  Seattle foi muito bem contra o Sam Bradford e os Rams na semana passada.  Parabéns, mas o New Orleans é outro bicho.  Mesmo sem um grande ataque corrido, os Saints vão atropelar.

Previsão: Saints 31, Seahawks 10

Indianapolis Colts 10-6 x New York Jets 11-5, Lucas Oil Stadium em Indianapolis


Peyton Manning teve um jogo incrível (possivelmente, até o melhor de sua carreira) na final da AFC do ano passado contra os Jets.  Ele passou para 377 jardas e lançou 3 TDs contra a melhor defesa da NFL.  Agora, os Jets querem vingança.

Esse ano foi muito difícil para Peyton Manning e os Colts.  A equipe perdeu O Dallas Clark logo no início da temporada, e Austin Collie e Joseph Addai perderam boa parte do ano com contusões.  Sem suas armas principais, Manning lançou 17 interceptações (sexto QB mais interceptado da liga).  Mesmo assim, Indianapolis conseguiu a classificação aos playoffs pelo nono ano consecutivo.

Os Jets, viveram um ano de altos e baixos.  A equipe escapou com vitórias dramáticas contra equipes fracas (Lions, Browns, Texans) e teve derrotas dolorosas (45 a 3 pro New England e 10 a 6 pro Miami).  Mark Sanchez teve um ano meia-boca com 17 TDs e 13 interceptações.  O segundo anista completou apenas 54,7% dos passes, a terceira pior marca entre quarterbacks titulares.

Os Jets vencem quando o ataque terrestre funciona e a defesa domina.  É isso que vai ter que acontecer pra NYJ vencer em Indy.  Se Mark Sanchez tiver que vencer o jogo, eu acho que Nova York ficará numa fria.  Ladainian Tomlinson e Shonn Greene vão ter que assumir controle do jogo.  Defensivamente, eu acho que NYJ tem tudo pra complicar a vida de Peyton Manning.  Os Colts têm apenas um jogador perigosíssimo no ataque.  O nome dele é Reggie Wayne (111 recepções, segunda melhor marca da NFL).  Os Jets têm Darrelle Revis e Antonio Cromartie.  Qualquer um dos dois tem chance de neutralizar Wayne.  Jacob Tamme teve um bom ano substituindo Dallas Clark, mas ele não assusta.  Pierre Garçon jogou bem contra os Jets no ano passado, mas esse ano NYJ estará mais focado em pará-lo. Vai ser complicado.

A boa notícia pros Colts é que o ataque terrestre tem funcionado bem ultimamente.  Joseph Addai está de volta e Donald Brown e Dominic Rhodes têm corrido bem com a bola.  Eu não vejo Indianapolis vencendo NYJ com um ataque unidimensional.   Se Indy conseguir correr para 100 jardas, as chances de vitória aumentam muito.

Quando eu vejo o duelo de Peyton Manning x Mark Sanchez, fica muito difícil apostar contra o Manning.  Ainda não boto fé no Sanchez.  Eu acho difícil vencer o Manning em Indianapolis num jogo de playoffs.  Por isso (sem muita convicção) eu aposto nos Colts.

Previsão: Colts 24, Jets 21


Kansas City Chiefs x Baltimore Ravens, Arrowhead Stadium em Kansas City


Os Chiefs foram uma das grandes surpresas de 2010.  A equipe venceu apenas 4 jogos na temporada passada e e ninguém esperava uma classificação para os Playoffs.  Porém, com o melhor ataque terrestre da NFL, um grande quarterback e uma campanha da 7 vitórias e uma derrota em casa, KC venceu a divisão oeste da AFC pela primeira vez desde 2003.

Os Ravens estão nos playoffs pelo terceiro ano seguido.  Baltimore foi o terceiro time que menos cedeu pontos nessa temporada (16,9).  Ray Lewis continua firme e forte e Terrell Suggs e Haloti Ngata são o pior pesadelo dos quarterbacks adversários.  No ataque, Baltimore teve mais uma forte temporada de Joe Flacco (25 TDs), mas o jogo terrestre teve um ano inconsistente.  Baltimore teve o quinto melhor jogo corrido da NFL no ano passado.  Esse ano, o time desceu para a décima quarta posição.

Esse duelo deve ser muito interessante.  Kansas City vai tentar estabelecer o jogo corrido com Jamaal Charles (segundo melhor corredor da NFL esse ano) e lançar para Dwayne Bowe (líder da NFL com 15 recepções para touchdown) com o passe de play-action.  O clima vai estar muito frio, e quem conseguir correr melhor com a bola, vai ter uma baita vantagem.  É assim que KC tem vencido o ano inteiro.  Matt Cassell tem tido um grande ano, mas eu tenho minhas duvidas se ele é o tipo de jogador que leva o time nos ombros sozinho.  Acredito que ele vá precisar da ajuda do jogo corrido pra KC ter chances.

Joe Flacco já mostrou que consegue vencer em estádios hostis nos playoffs.  Ele já conduziu sua equipe a vitórias em New England, Miami e Tennessee em apenas duas aparições nos playoffs.  Essa experiência vai ajudar muito no sábado.  Os veteranos Ray Lewis e Terrell Suggs crescem muito nos playoffs e a defesa do Baltimore vem com tudo.  Pode contar com Ray Rice tendo uma participação ampla no plano de jogo, e a defesa dos Ravens pressionando Matt Cassell.  Não vai ser fácil, mas Baltimore leva.

Previsão: Ravens 20, Chiefs 17

Philadelphia Eagles x Green Bay Packers, Lincoln Financial Field em Filadélfia.

Esse jogo é imperdível.  Se você tiver alguma coisa programada para domingo, cancele.  Esse daqui você não vai querer perder.

Os Packers chegam aos playoffs em grande fase.  O time tem tido o azar de líder com “n” contusões e isso é uma das razões que GB perdeu 6 jogos.  Nick Barnett, Ryan Grant e Jermichael Finley sofreram graves contusões e estão fora da temporada há muito tempo.  Outros como Aaron Rodgers, Atari Bigby e Mark Tauscher também já perderam jogos.  Enfim, o ano tem sido difícil.  Mesmo assim, a defesa vive um momento especial.  Apenas o Pittsburgh Steelers cedeu menos pontos nessa temporada.  Clay Matthews, Charles Woodson e o resto da retaguarda cederam perto de 10 pontos por jogo nas últimas nove partidas da temporada.  Além disso, o ataque tem Aaron Rodgers (28 TDs e 3,922 jardas).

O ataque do Philadelpia eletrizou a NFL esse ano.  Apenas o San Diego Chargers somou mais jardas do que Michael Vick e Cia.  Lesean Mccoy foi o líder da NFC em jardas e Desean Jackson e Jeremy Maclin sempre estão fazendo touchdowns de 40 a 50 jardas.  Ofensivamente, Philadelphia é de longe o time mais rápido da NFL.  Defensivamente, o time cedeu pelo menos 24 pontos em 5 dos últimos 6 jogos.  A defesa é agressiva e arrisca com muitos blitz.  De vez em quando dá  certo (o blitz), de vez em quando, não.

O duelo deve ser fascinante.  A chave para vencer o Philadelphia é simples: pressionar o Michael Vick.  Vick tem sido bastante pressionado ultimamente e tem uma sequência de 6 jogos seguidos com pelo menos uma interceptação (ele não teve nenhuma nas onze primeiras semanas da temporada).  A defesa dos Packers interceptou Jay Cutler duas vezes na semana passada e permitiu apenas 3 pontos.  Se isso se repetir, Green Bay vence.

Essas equipes se enfrentaram no primeiro jogo da temporada e Aaron Rodgers jogou muito bem na vitória dos Packers por 27 a 20.  Eu vejo isso se repetindo no domingo.  Philly não vem jogando bem  e os Packers veem de uma vitória emocionante na semana passada contra os Bears.  Greg Jennings, Donald Driver e Jordy Nelson serão muito para o Philadelphia.  A defesa dos Packers está pegando fogo e a próxima vítima é Michael Vick.

Previsão: Packers 27, Eagles 20 (de novo)

O que acham?

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

domingo, 2 de janeiro de 2011 NFL - Futebol Americano | 14:55

POLVO PAULO SE PREPARA PARA A ÚLTIMA SEMANA DA TEMPORADA REGULAR E SOLTA SUAS PREVISÕES

Compartilhe: Twitter

É impressionante como a temporada da NFL passa rápido.  Hoje, acaba a temporada regular.  Vários times como Giants, Bucs, Packers e Jaguars ainda sonham com a uma vaga nos playoffs.  A rodada promete ser emocionante.  Vamos às previsões dos jogos!

Campanha na temporada: 150 acertos x 87 erros

Campanha na semana passada: 8 acertos x 6 erros

Previsões da 17a rodada:

Hello, Polvo Paulo dear.

Patriots 30, Dolphins 17

MVP = Rob Gronkowski

Falcons 38, Panthers 10

MVP = Matt Ryan

Ravens 27, Bengals 17

MVP = Ray Rice

Steelers 20, Browns 10

MVP = Big Ben

Lions 20, Vikings 17

MVP = Calvin Johnson

Chiefs 30, Raiders 20

MVP = Jammal Charles

Saints 24, Bucs 17

MVP = Drew Brees

Jets 20, Bills 17

MVP = Santonio Holmes

Chargers 23, Broncos 20

MVP = Ryan Matthews

Packers 28, Bears 14

MVP = Aaron Rodgers

Texans 31, Jaguars 10

MVP = Matt Schaub

Colts 31, Titans 17

MVP = Peyton Manning

Eagles 30, Cowboys 20

MVP = Kevin Kolb

49ers 15, Cardinals 11

MVP = Mike Singletary (ele vai voltar e entrar de linebacker)

Giants 24, Redskins 22

MVP = Eli Manning

Rams 23, Seahawks 20

MVP = Sam Bradford

O que acham??

Autor: Tags: , , , , , , ,

quarta-feira, 20 de outubro de 2010 NFL - Futebol Americano | 02:17

O QUE MAIS ME CHAMOU A ATENÇÃO NA SEMANA 6 DA NFL

Compartilhe: Twitter

Mais uma semana emocionante na NFL.  Aqui estão cinco coisas que me chamaram a atenção.

5. Cameron Wake é o cara em Miami

Cameron Wake consegui 3 sacks contra os Packers.

Quem vai colocar pressão no quarterback com as saídas de Jason Taylor e Joey Porter?  Essa era a grande questão antes do início da temporada em Miami.  Questão resolvida!  Bem-vindo à NFL meu querido Cameron Wake.  Depois de anotar 3 sacks contra o Green Bay Packers, o segundo anista do Miami Dolphins agora soma 6 sacks na temporada.  Jason Taylor (3) e Joey Porter (1) somam apenas 4!

Wake tem uma história interessante.  Ele não foi draftado, foi cortado do New York Giants em 2005 e acabou ficando um um ano longe dos gramados.  Nesse meio tempo, Wake trabalhou como personal trainer e corretor de hipoteca.  Ele voltou em 2007 na Canadian Football League.  Nas temporadas de  ’07 e ’08, Wake somou 39 sacks e chamou a atenção dos olheiros. Em 2009, ele assinou um contrato com os Dolphins e mostrou seu talento com 5,5 sacks em oportunidades limitadas.  Agora, o linebacker está provando que merece ser titular e assegura o torcedor dos Dolphins que Jason Taylor e Joey Porter não farão falta em Miami.

4. O Dallas Cowboys está completamente perdido.

Tony Romo lançou mais duas interceptações contra os Vikings

Muitos achavam (incluindo o Paulo Antunes) que esse seria o ano dos Cowboys.  Depois de uma forte temporada em 2009, Dallas parecia que estava a caminho de, possivelmente, se tornar o primeiro time a jogar em casa no Super Bowl.   Bom, depois de cinco jogos e uma derrota na última rodada contra os Vikings, parece que isso não irá acontecer.  Os Cowboys estão fazendo tudo errado.  Muitas faltas, muitos turnovers, um jogo terrestre fraco e uma linha ofensiva que não protege o quarterback.  Os Cowboys dispensaram Flozell Adams (left tackle) e tiveram contusões importantes durante a pré-temporada (Kyle Kosier e Marc Colombo).  Isso mexeu com a continuidade da linha ofensiva, que foi uma das melhores da liga no ano passado.  Tashard Choice, Felix Jones e Marian Barber eram pra formar um “monstro de três cabeças” correndo com a bola.  Até agora, esse trio não tem sido um horror.   Inclusive, Barber estava envolvido em rumores de troca.

Vai ser muito difícil para os Cowboys se recuperarem.  Times que começam 1 e 4, raramente vão aos playoffs.  É obvio que o time tem talento mas falta disciplina.  O primeiro passo à recuperação é jogar com mais inteligência.  Se Dallas ficar longe dos turnovers e das faltas, ainda acho possível sonhar com uma vaga nos playoffs.

3. O San Diego Chargers não consegue vencer fora de casa.

Os Chargers somam muitas jardas e muitas derrotas.

O torcedor dos Chargers olhou na tabela de jogos antes da temporada e falou, “caramba que fácil! Vamos começar com seis vitórias e nenhuma derrota.” NOT.  Derrotas para Kansas City, Seattle, Oakland e St.Louis fora de casa deixam o torcedor bem pessimista.  Os Chargers somam mais jardas que todos os times da NFL, só que fica difícil vencer quando sua linha ofensiva permite 7 sacks contra o St.Louis Rams!  San Diego venceu 13 jogos no ano passado e todo mundo achava que a caminhada na AFC Oeste seria fácil, fácil, fácil. Isso não tem acontecido.

A tabela fica complicada nas próximas três semanas.  O time recebe os Patriots, Titans e viaja pra Houston pra encarar os Texans.  Se San Diego perder dois desses jogos (que eu acho MUITO possível) a equipe estará numa situação complicadíssima na classificação.

2. A temporada do Green Bay Packers está prejudicada por causa das contusões.

As contusões dos Packers estão frustrando o técnico Mike Mccarthy.

Antes da temporada, o otimismo permeava a cidade de Green Bay.  Parecia que o time estava pronto pra tomar mais um passo em direção ao Super Bowl!  O Pack foi aos playoffs no ano passado e essa temporada tinha tudo pra ser especial.  No papel, o time era completo em todas as posições.  Aaron Rodgers está se tornando um dos grandes quarterbacks da liga,  Greg Jennings e Donald Driver são grandes wide receivers, o céu é o limite para Jermichael Finley que promete ser um dos melhores tight ends da liga, a defesa foi a segunda melhor da temporada passada, Ryan Grant é um dos melhores running backs da NFL.  Enfim, não tinha como não apontar os Packers como um dos favoritos.

Infelizmente, as coisas mudam bastante durante uma temporada. CONTUSÕES matam.  Nessa última semana contra os Dolphins, os Packers jogaram sem 9 jogadores importantíssimos (Al Harris, Atari Bigby, Nick Barnett, Morgan Burnett, Brandon Chillar, Clay Matthews, Ryan Grant, Jermichael Finley, Mark Tauscher).  Além disso, Brady Poppinga (substituto de Clay Matthews) se machucou durante o jogo!  Isso é basicamente metade do time!  Grant, Barnett e Finley não jogam mais esse ano. Que azar!

A boa notícia é que o resto dos jogadores citados devem voltar em breve e com certeza vão ajudar o time.  A má notícia é que o time perdeu dois jogos seguidos e está começando a se complicar na classificação com três vitórias e três derrotas.  Os Packers encaram Brett Favre e os Vikings na semana que vem.  Eu ainda acho que Green Bay tem time pra chegar ao Super Bowl.  Vamos ver se ninguém mais se machuca.

1. O bom filho à casa torna!

Deion Branch está de volta com os Patriots!

Deion Branch foi o MVP do Super Bowl XXXIX, terminando com 11 recepções e ajudando o New England Patriots a se consagrar campeão.  No último domingo, contra os Ravens, ele mostrou que ainda tem muita gasolina no tanque.  Em seu primeiro jogo de volta com os Pats (ele foi trocado pelo Seattle Seahawks), Branch agarrou 9 bolas para 98 jardas e foi crucial na vitória dos Pats em cima dos Ravens.  O jogador mostrou que ainda está em ótima sintonia com o Tom Brady e espera amenizar a ausência de Randy Moss, agora com os Vikings.  (Eu falo “amenizar” porque ninguém substitui um Randy Moss.)

Eu acredito que quando o quarterback é bom, ele ganha com qualquer tipo de jogador.  Por isso, acho que o ataque dos Patriots vai continuar bem forte.  É certo que o passe longo vai ser menos usado sem Randy Moss.  Mesmo assim, eu acho que Brady vai conseguir se virar com Branch, Brandon Tate, Wes Welker e os calouros Brad Gronkowski e Aaron Hernandez.  New England não terá o mesmo ataque dinâmico que tinha com o Moss, mas acredito que o poder ofensivo do time ainda assuste os adversários.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 29 de setembro de 2010 NFL - Futebol Americano | 19:14

10 DESTAQUES DA TERCEIRA RODADA DA NFL.

Compartilhe: Twitter

Leon Washington foi o jogador da semana!

10.  Mark Sanchez e Chad Henne dão um espetáculo inesperado.

Quem diria que os jovens Mark Sanchez e Chad Henne combinariam para 5 TDs e mais de 600 jardas contra duas das melhores defesas da NFL.  Impressionante!  O jogo de domingo a noite foi EMOCIONANTE.  Dois rivais se divisão se enfrentando num jogo que prometia ser uma batalha defensiva, né?  Ahhhhh tá.  Até parece.  Os dois ataques dominaram.  Sanchez lançou para 3 TDs pela segunda semana consecutiva e agora soma 6 na temporada (no ano passado, ele só alcançou essa marca depois de 7 semanas).  O QB dos Jets não lançou nenhuma interceptação e foi peça chave na vitória diante do rival por 31 a 23.

Chad Henne foi sensacional também.  O QB do Miami lançou para 363 jardas ( a melhor marca da carreira) e dois touchdowns.  Henne jogou a bola na direção do Brandon Marshall 17 vezes, acertando 10.  O ataque finalmente apareceu depois de somar apenas 20 pontos nos dois primeiros jogos.  Mesmo com a derrota, o torcedor do Miami tem que ficar mais otimista em relação ao ataque e Henne.

9. Packers anotam pior marca da história da franquia com 18 faltas.

Foi vergonhosa a indisciplina do Green Bay Packers contra o Chicago Bears.  O time cometeu 18 estabelecendo um novo recorde da franquia.  Horrível!  Os Packers jogaram tão bem nos dois primeiros jogos, mas literalmente entregou o jogo de segunda-feira pro Chicago.

Green Bay teve um touchdown e duas interceptações anulados por causa de faltas.  Se não fosse as faltas, os Packers, provavelmente teriam vencido com tranquilidade.  Os grandes culpados foram a linha ofensiva e a secundária.  Os Bears agradecem e agora têm 3 vitórias no ano.

8. Michael Vick continua sendo o cara.

Vick está jogando o melhor futebol americano de sua carreira.  Ele parece estar mais maduro e concentrado.  Eu sinceramente acho que os dois anos que ele passou na cadeia fez o jogador crescer absurdamente.  Vick está mais rápido do que nunca e o braço está lançando foguetinhos pra todos os lados. Domingo contra os Jaguars, Vick lançou para 3 touchdowns e correu para outro.  A corrida foi incrível.  Na jogada, ele conseguiu escapar de um sack e levou a bola para touchdown.  Depois de 3 semanas não há dúvida que o MVP da NFL se chama Michael Vick.

7. O New York Giants tem mais um jogo feio.

A coisa lá em Nova Iorque está muito feia.  Os Giants não estão jogando nada.  No último domingo, o time sofreu mais uma derrota.  Dessa vez o felizardo foi o Tennessee Titans. Os Giants erraram dois field goals, sofreram 2 turnovers dentro da linha de 6 dos Titans, cometeram 5 faltas pessoais e cederam um safety.  Assim fica difícil ganhar do time do Mickey Mouse.

Os Giants somaram 200 jardas a mais (471 a 271) que os Titans, mas mesmo assim perderam, em casa, por 19 pontos.  Isso não acontece nem nas melhores famílias.   Não me lembro da última vez que o time da casa teve um domínio absurdo (em termos de jardas) e foi goleado.  Ai, ai Giants.

6. O bom “vovô” à casa torna.

John Carney está de volta com o New Orleans.  O moço de 46 anos foi contratado hoje pra ser um de dois kickers do New Orleans Saints.  Garrett Hartley, que errou um field goal de 29 jardas que teria dado a vitória aos Saints no domingo, vai permanecer no clube.  Hartley acertou apenas 4 de 7 chutes nessa temporada.

Carney estava desempregado, mas tem uma rica história na liga.  Ele é o terceiro maior pontuador da história da liga e um dos melhores kickers que a liga já viu.  Em sua carreira (que começou em 1988) Carney já chutou 473 field goals.  Ele esteve com os Saints durante boa parte da temporada passada e acertou 13 de 17 chutes.

5. A defesa do Dallas Cowboys domina o melhor ataque da NFL

Os Cowboys estão vivos! Depois de uma vitória convincente contra o Texans, em Houston, o Dallas mostrou que é um time que precisa ser respeitado.  Os Texans somaram apenas 13 pontos e 340 jardas depois de duas semanas eletrizantes contra os Colts e Redskins.  Demarcus Ware teve nada menos que 3 sacks e Keith Brooking contribuiu 1.  Os Cowboys forçaram os três turnovers.

4. Bears, Chiefs e Steelers estão dando o que falar

Essas três equipes são as únicas invictas da NFL.  Vou te falar uma coisa de cada equipe que está fazendo a diferença.

Bears – A defesa contra o jogo terrestre está incrível.  Os Bears cederam apenas 119 jardas por terra até agora.  São menos de 40 jardas por jogo!  Eu sei que Jay Cutler está jogando bem (e isso vai ser crucial para o sucesso do Chicago), mas a volta de Brian Urlacher e a contratação de Julius Peppers podem levar os Bears longe.

Chiefs – Hello my dear Dexter Mccluster!  Esse menino é um “playmaker”.  Sempre quando ele encosta na bola, boas coisas acontecem.  Na semana passada, ele anotou um TD numa recepção.  Na primeira semana, o calouro retornou um punt 94 jardas para touchdown.  Além dele, Thomas Jones e Jamaal Charles já estão deixando os coordenadores defensivos malucos.  Os dois passaram das 90 jardas terrestres contra os 49ers.  Os Chiefs venceram apenas 10 jogos nos últimos 3 anos.  Será que o time tem gás pra chegar aos playoffs em 2010?

Steelers – A “cortina de aço” está de volta.  Os Steelers tiveram uma das melhores defesas da história da liga em 2008.  O time perdeu o Troy Polamalu (contusão) no ano passado e a retaguarda sofreu muito.  Mesmo sem o Ben Roethlisberger, o time soma 3 vitórias no ano.  Troy Polamalu está jogando um bolão.  Estamos testemunhando a volta do time de 2008 aqui em 2010??

3. O Oakland Raiders precisa se benzer

Deus amado.  Alguém precisa levar o Oakland Raiders pro centro espírita, ou algo parecido.  O time inteiro precisa tomar um passe.  Será que os Raiders fizeram um pacto com o diabo pra poder chegar ao Super Bowl em 2002?  Eu falo porque desde aquele jogo, o Oakland é o pior time da NFL.  No domingo, o time perdeu por 24 a 23 para o Arizona Cardinals.  O “sempre” confiável Sebastian Janikowski errou 3 field goals.  O último, de apenas 32 jardas, teria dado a vitória aos Raiders.  Coitado do torcedor.

2. Hail to the Rams!!  O time finalmente venceu no mês de Setembro.

Depois de sofrer 13 derrotas consecutivas no mês de Setembro, os Rams finalmente venceram.  Yahooooo!  Os Rams venceram em casa depois de perder os 14 jogos anteriores em St.Louis. Yahoooooo!  St.Louis venceu pela segunda vez nos últimos 29 jogos. Hail to the Rams!!!!! Yahooooooo! Ah, teve uma coisa ruim (sempre tem alguma coisa ruim com os Rams).  Steven Jackson, o melhor jogador do time, saiu machucado com um contusão na virilha.

1. Leon Washington está de volta

O momento mais legal da semana foi ver Leon Washington retornar dois kick-offs para touchdown contra o San Diego Chargers.  Os retornos de 99 e 101 jardas ajudaram o Seattle Seahawks vencer por 27 a 20.

A caminhada de Washington nos últimos meses tem sido bastante árdua.  No ano passado, ele sofreu uma fratura exposta na perna direita durante um jogo.  Depois da temporada, ele foi trocado dos Jets para o Seattle Seahawks e hoje joga com um pedaço de metal dentro do osso da perna pra ter estabilidade.

Washington teve 3 grandes temporadas com os Jets, e tudo indica que ele voltará a esse nível com os Seahawks.  Leon é o décimo jogador a retornar dois kick-offs para TD no mesmo jogo.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. Última